Biblioteca / Textos Blog

Nesta página você pode ler um pouco sobre o que eu penso.

 

Os textos estão relacionados a comportamento humano, psicologia, reflexão, assim como conteúdo de auto estima, psicologia organizacional e Constelações Familiares e PanGarden / Constelação Criativa. 

 

Obrigada pela visita! :)

 
Aos meus amores antigos: Obrigada!

 

Publicado em 2 de julho de 2018 por MariEZ

 

Quantos de nós, já nos apaixonamos loucamente por alguém e acreditávamos que aquela história iria durar para sempre?

 

Finalmente os anjos, Santo Antônio, o cupido, seja lá quem for, ouviu as suas preces.

 

E a história de amor perfeita é vivida com toda a intensidade e tudo mais.

 

Você se diverte, vive de verdade essa história, faz planos com esta pessoa, mas…

 

Contos de fadas não existem, e a história de amor começa a ficar estranha e ir para direções e caminhos que não estavam dentro do planejado.

 

O que era lindo, começa a ficar estranho.

A presença vira ausência…

O que era “fofinho”, começa a irritar profundamente…

As mensagens que antes eram trocadas a cada minuto, viram mensagens de bom dia e boa noite e olhe lá…
O que era encantamento cai no desinteresse…

De repente, o que era para sempre chega ao fim.

Estou sendo bem dramática na descrição do texto, para que possamos entender do que se trata a história.

 

Aquela pessoa que você falava todo dia e era a mais importante da sua vida, de repente desaparece e você não quer mais nem ouvir falar ou encontrar.

 

Depois de um tempo, a vida segue e você conhece alguém interessante e refaz a sua vida afetiva, começando um novo relacionamento e se apaixonando.

 

E quando alguém vem e te pergunta do seu ex ou da sua ex, você diz, “pelo amor de Deus, nem me lembre que um dia eu tive a coragem de namorar aquela criatura!!!”

 

Opa…. chegamos a questão central deste texto:

 

Muitas vezes, esquecemos que os relacionamentos antigos, quando terminam de maneira traumática e não são reverenciados, podem repercutir negativamente nos  relacionamentos futuros.

 

Por isso eles devem ser honrados, pois fazem parte da nossa história de vida.

 

A pessoa que você é hoje, também é um pouquinho melhor porque um dia teve a incrível oportunidade de viver essa história no passado.

 

Agradeça de coração por essa história, independente da maneira que ela terminou.

 

Hoje você pode não concordar mais com o que era essa história, mas naquela época era o melhor que você poderia fazer e viver.

 

E tudo bem.

 

A vida anda para frente, e ainda bem que podemos olhar para trás e sermos gratos por tudo o que vivemos lá atrás.

 

Agradeça e inclua essa pessoa no seu coração.

 

Ao fazer isso, você poderá viver intensamente todas as histórias que vierem no futuro, pois você estará em paz com seu coração, em paz com sua história, em paz com a pessoa que você é hoje.

 

Em hipótese alguma, eu estou dizendo que agora você tem que ser melhor amiga ou amigo do ex, se conseguir, isso é perfeito, mas se não consegue, não tem problema, mas o importante é que você não sinta mais tristeza ou rancor ao lembrar dessa história.

 

Ela tem que ter um lugar no seu coração que você consiga lembrar e ficar em paz com você mesmo.

 

Permita-se e se dê esse presente.

 

Ame o seu passado, ame sua história, ame seus erros e acertos, e só assim: Você poderá se amar por inteiro e amar alguém de verdade!

 

Marilice Everton Zanato
Psicóloga – CRP. 06/80972
Fone: (11)-9-6989-0331
marilice@mezpsicologia.com.br
http://www.mezpsicologia.com.br

 
Gratidão não é modinha

 

Publicado em 18 de junho de 2018 por MariEZ

 

A um tempo atrás eu ouvi uma frase que ficou ecoando no meu ouvido eternamente: Essa coisa de gratidão é modinha.

 

De alguma maneira, acabei voltando no tempo, e acessando memórias de infância em que meus pais me ensinaram a agradecer quando eu recebesse algo que era importante para mim, e também a pedir desculpas quando eu fizesse algo de errado.

 

Pensei que agradecer é algo que se perdeu com o passar do tempo e virou artigo de luxo.

 

Agradecer é mais do que falar para outra pessoa que ela fez algo de bom para você, agradecer diz respeito a valorizar o que há no outro em relação a você, e também no que há de bom em você em relação ao outro.

 

Agradecer é algo que deve ser praticado para tudo o que fazemos.

 

Engraçado, porque reclamar também podia ser considerado uma “modinha”.

 

A minha vida está uma droga,

Esse trânsito está impossível;
Olha só esse metrô lotado;
O meu chefe é um chato;
A minha mãe não me deu amor quando eu queria;
Só estou com o meu namorado por dó;
Olha o cabelo daquela pessoa;
E sei lá mais o que…

 

Falar mal pode, super normal.

 

Imagina você não ter o que reclamar na vida…

 

Agora agradecer…. Agradecer é estranho.

 

Então, neste momento, te convido a tentar agradecer o que é a sua vida.

 

Agradecer as coisas pequenas, as coisas grandes.

 

Sabe de manhã, quando você acorda e se dá aquele café? – Ele merece ser agradecido.

Aquela roupa que você escolheu vestir;

Aquele ônibus ou o carro que te levam para onde você tem que ir;
Agradeça a sua família, mesmo não sendo a que você sonhava, mas é a sua, a que você tem , o sistema ao qual você pertence;
Agradeça pelo dia que nasce, a noite de descanso que chega e assim por diante.

 

Não, eu não estou Pollyana hoje, eu só estou mostrando o outro lado das coisas, quando nos dispomos a agradecer a aproveitar o que é a vida de hoje, o dia e tudo o que está a nossa disposição, mas que esquecemos de olhar e dar um lugar, um valor.

 

Agradecer ou simplesmente ficar feliz pelo que tem.

 

Nas pequenas coisas…

 

Por exemplo, poder fazer uma marmita e levar a comida que você fez para o trabalho.
Poder vestir aquela roupa, com cheirinho de amaciante, que você cuidou, ou cuidaram para você ao lavar;
Tomar banho, e sentir a água cair no seu corpo, aquela água quentinha e que faz sentir bem;

 

Agradecer e sentir feliz pelo que você tem, agradecer e reverenciar a pessoa que você é.

 

Quando você agradece, a vida devolve.

 

Quando você reverencia, a vida entende.

 

Quando você vê, isso diz respeito a você, no final das contas, você está agradecendo a pessoa que você é.

 

Simples assim.

 

Então, começando por agora, o que você tem a agradecer?

 

Marilice Everton Zanato
Psicóloga – CRP. 06/80972
Fone: (11)-9-6989-0331
marilice@mezpsicologia.com.br
http://www.mezpsicologia.com.br

 
E hoje é dia de: Faxina Mental!

Publicado em 4 de junho de 2018 por MariEZ

 

Quantas pessoas você conhece, e talvez até esteja incluída nesta estatística, que espera o final de semana para fazer aquela senhora faxina na casa?

  • Arrumar o quarto;
  • A cozinha;
  • Lavar roupas;
  • Passar;
  • Milhares de outras coisas que só conseguimos fazer em casa porque temos um dia dedicado para isso.

 

E a sensação depois de terminar a limpeza é de vitória!

 

Daquelas que temos vontade de não usar a casa com dó de sujar….

 

Outras pessoas também tem o costume de fazer faxina ou organizar os armários, as gavetas, analisando o que ainda pode ser usado, o que não serve mais, o que precisa ser consertado e o que pode ser doado…

 

Até aqui está tudo certo.

 

Mas…..

 

Qual é a frequência que você se dispõe a fazer faxina dentro de sua cabeça ou dentro de seu coração?

 

Quantas vezes ficamos martelando um problema em nossa cabeça ou lembrando coisas que nem tem mais utilidade para a nossa vida atual?

 

Lembranças de alguma relação de amizade ou amorosa do passado que parece um filme de sessão da tarde, que vira e mexe está lá, dando replay.

 

E você no meio de tudo isso.

 

Achando que vai enlouquecer ou não aguenta mais não conseguir tirar essas lembranças da sua memória.

 

A responsabilidade por esta manutenção no sistema mental é sua também, acredita?

 

Da mesma maneira que você tira um tempo para organizar as coisas no mundo de fora, é de primordial importância que você também tire um tempo para se cuidar internamente, na parte mental e na parte sentimental.

 

Uma forma de fazer isso é olhar para a sua história com respeito, carinho e amor.

 

Olhar para si mesmo e agradecer por um dia ter tido a coragem de seguir com aquela história ou negócio, ou seja lá o que foi.

 

Mas que agora, essa história não tem mais lugar no presente, faz parte do passado e deve ficar lá.

 

Como se você pudesse reorganizar as prioridades e dar espaço para o novo, se permitindo viver novas experiências e possibilidades.

 

Para que coisas novas possam chegar, você precisa fazer uma faxina interna, e se livrar de verdade do que não está mais em uso, do que não serve mais, do que está quebrado ou do que não tem mais lugar mesmo.

 

Eu aprendi um exemplo, um dia desses, e agora gosto de repetir: No celular quando ele está com memória cheia, fica impossível instalar um novo aplicativo. Desta maneira, precisamos limpar a memória para liberarmos mais espaço para o novo.

 

Assim funciona a nossa vida em todos os seus aspectos.

 

Para que o novo venha, precisamos nos livrar do velho.

 

E quando fazemos isso por nós mesmos, a vida nos oferece novas possibilidades e caminhos.

 

Para saber isso, você terá que fazer a sua parte…

 

Garanto que valerá muito a pena.

 

Marilice Everton Zanato
Psicóloga – CRP. 06/80972
Fone: (11)-9-6989-0331
marilice@mezpsicologia.com.br
http://www.mezpsicologia.com.br

 

 
Você já agradeceu hoje o emprego de ontem?

 

Publicado em 23 de abril de 2018 por MariEZ

 

Uma coisa que acontece com uma certa frequência e que a maioria de nós não se dá conta é a nossa relação com o trabalho.

 

Quando começamos a trabalhar em uma empresa, expectativas, desejos,tudo gira em torno desta nova oportunidade que se apresenta.

 

Queremos ser remunerados de maneira adequada, desejamos que a nova equipe esteja alinhada os nossos valores e intenções de trabalho e que tenhamos bons momentos neste ambiente que nos dá uma nova oportunidade de desenvolvimento e crescimento pessoal e profissional.

 

A maioria de nós até começa a trabalhar na empresa com alegria, satisfação e envolvimento com a rotina ou as coisas que vão sendo ensinadas para nós.

 

Mas, com o passar do tempo, algumas pessoas acabam se desmotivando ou se deixando de lado e começam a reclamar do trabalho, do ambiente da empresa, do salário, de tudo que um dia foi acordado e aceito em entrevista.

 

E neste momento, muitos de nós acabamos desvalorizando o que temos e queremos trocar de emprego, de atuação profissional, achando que trocando de lugar as coisas serão diferentes.

 

O fato é que: em qualquer lugar que estejamos, se o nosso coração não estiver inteiro e verdadeiramente alinhado com o que é melhor para nós, você pode estar no lugar que sempre sonhou, mas estará distante de você mesmo.

 

Você pode sim trocar de emprego, mas o problema não é o lugar e sim a maneira como você lida com as questões.

 

Não estou dizendo que não existem ambientes de trabalho insuportáveis, e sei que problemas acontecem diariamente, mas a questão é como você lida com esses problemas.

 

Prefere reclamar ou tentar perceber o que esta oportunidade está querendo lhe ensinar ou melhorar em você mesmo?

 

Minha sugestão é que você olhe para todas as suas experiências de trabalho anteriores e inclusive a atual e agradeça.

 

Como assim agradecer?

 

Olhe com respeito para tudo o que foi aprendido, tudo o que foi enriquecido, tudo o que também não foi bom, mas você aprendeu a fazer diferente ou aprendeu que não deve ser feito.

 

Olhe para seu passado com carinho e respeito.

 

Olhe para aquelas pessoas que também não eram as suas prediletas ou com quem você teve problemas.

 

Agradeça todas as oportunidades, independente do que houve, pois todas elas te prepararam para o que você é e faz hoje.

 

Quando honramos e damos um lugar em nosso coração para tudo o que já fizemos e passamos um dia, respeitamos o nosso lugar no mundo e respeitamos quem somos também.

 

Outra coisa importante para ser dita: o que passou passou. Não carregue mágoa, ressentimentos em relação a ex-chefes, ex-colegas ou até promessas que foram feitas e não foram cumpridas. Passou, isso não te pertence mais.

 

A vida segue adiante, e ficar preso a uma promessa de passado só faz a sua vida ficar estagnada e pobre de possibilidades.

 

A partir de agora, pegue o seu currículo, escreva com cuidado, carinho e respeito tudo o que você já fez na sua vida profissional.

 

Conte para os empregadores cada uma das empresas por onde você já passou um dia.

 

Algumas pessoas às vezes não querem colocar uma experiência por ter sido muito curta ou por não ser uma empresa que tenha relevância no mercado, mas não faça isso, todas as empresas por onde você esteve são importantes pois elas tornam você o profissional que você é.

 

A experiência foi rápida, a experiência foi longa, não importa!

 

Ela faz parte da sua história e sempre que olhamos para trás com carinho e respeito pelo que já passamos o nosso campo, o nosso sistema, nos devolve isso de maneira a estarmo alinhados com que é melhor em relação ao que podemos realizar e o que estamos preparados para oferecer.

 

Verifique se existe alguma coisa em seu coração que ainda vibra raiva, rancor e diga para você mesmo: "tudo bem, isso tudo está no passado".

 

Ou seja no próximo emprego permita-se novas experiências olhe para trás com carinho e respeito, siga adiante o seu propósito, dentro do que você acredita que é o melhor que você pode fazer e oferecer.

 

Honremos nossa história independente do que tenha acontecido.

 

Devemos agradecer o que um dia houve de ser, agradecer o que é hoje e agradecer pelas oportunidades que poderá surgir a partir que eu me reconheço e valido tudo o que há em mim de bom e também o que há para ser desenvolvido e aprimorado.

 

Marilice Everton Zanato
Psicóloga – CRP. 06/80972
Fone: (11)-9-6989-0331
marilice@mezpsicologia.com.br
www.mezpsicologia.com.br

 
Você já deixou de fazer algo por causa da opinião de outras pessoas?

 

Publicado em 23 de abril de 2018 por MariEZ

 

Já aconteceu de você querer muito uma determinada coisa em sua vida, daquelas que você sabe que lhe farão absurdamente feliz, mas deixou de fazer por conta do olhar ou opinião de outras pessoas?

 

Ou até mesmo nem considerou ir ou fazer pela possibilidade de como você seria visto pelo mundo?

 

  • Mas o que vão falar de mim?
  • Se ficarem olhando para mim?
  • Se deixarem de falar comigo?
  • Se me ignorarem?

 

Então, o que você está querendo fazer ou ter não tem uma verdade para você uma vez que o que o outro pode considerar tem muito mais relevância do que seu desejo em si.

 

Agora te pergunto: e dai se falarem? E dai se olharem?

 

E dai?

 

Quanto tempo perdemos tentando bancar algo que não é nossa verdade ou a nossa essência porque a sociedade vai pensar ou falar o que de mim….

 

Com uma certa frequência me deparo com pessoas que criticam seus corpos, criticam suas conquistas e ficam buscando formas de esconder isso para que outras pessoas não possam perceber ou notar determinada coisa.

 

E o esforço para esconder isso é tão grande, que a pessoa acaba esquecendo de voltar a olhar para si mesma com os olhos do amor.

 

Por exemplo: Pode ser que eu deixe de usar um determinado tipo de roupa, pois tenho vergonha de alguma parte do meu corpo. Mas o meu corpo é perfeito do jeito que ele é. Eu só sou o que sou, porque aquele corpo é meu e me representa, goste eu ou não. O fato de eu ficar me criticando, não vai fazer aquela determinada parte ficar do jeito que eu gostaria, e muito pior, o fato de eu criticar essa determinada parte e falar para as outras pessoas notarem, não mudarão minha realidade.

 

Os olhos com críticas são os nosso piores inimigos. E esses olhos são nossos mesmos.

 

Então aceite: O seu corpo é assim. E está tudo maravilhosamente bem.

 

Porque damos tanta importância para o que os outros pensarão ou acharão de nós?

 

Se a vida é sua, porque dar tanta importância para o olhar ou a crítica do outro, que no final das contas, só diz respeito ao que ela pensa.

 

Tem pessoas que gostam de doce, tem pessoas que gostam de salgado. E tudo bem…

 

Tem pessoas que gostam do dia e tem pessoas que gostam da noite. E tudo bem.

 

Tem pessoas que gostam da praia, outras que gostam do campo…. E tudo bem.

 

O meu corpo é do jeito que é…. Eu olho ele nos espelho e tudo bem.

 

Ele é perfeito do jeito que é.

 

As minhas escolhas, são perfeitas, do jeito que são.

 

O fato de alguém concordar ou não, não tem importância, por que no final das contas, quem vai arcar e bancar a decisão e a escolha: Sou apenas eu.

 

Então, vou viver minha vida e o que os outros acham, não importa mais.

 

Liberte-se!

 

Marilice Everton Zanato
Psicóloga – CRP. 06/80972
Fone: (11)-9-6989-0331
marilice@mezpsicologia.com.br
www.mezpsicologia.com.br

 
Você está presente?

Publicado em 19 de março de 2018 por MariEZ

 

Quando você acorda pela manhã, qual é a primeira coisa que lhe passa pela cabeça?

 

Muitos de nós temos a tendência a reclamar, porque queríamos ter mais algum tempo para dormir ou levantamos apressados para dar conta das coisas que precisam ser resolvidas durante o dia.

 

Tudo começa com o café da manhã que as vezes é apressado.

 

Organizar as coisas para não perder a hora;

 

Pegar um trânsito básico para deixar o dia ainda mais interessante….

 

Depois coisas para ir resolvendo no trabalho, ou as atividades do lar, reuniões, banco, relatórios, faxina, cuidar das crianças, falar com o pessoal sobre a internet, reclamar sobre alguma coisa que tinha de ser resolvida e não foi, fofocar, almoçar, ir para a academia, fazer jantar, lição de casa das crianças, comprar coisas para o dia seguinte, lavar roupa, lavar louça, dar banho nas crianças, dar um recado para o esposo que esqueceu de dar, comprar os ingressos para aquele filme que você não quer perder a estréia, dar ração para o cachorro, limpar o cantinho do cachorro….

 

E nesta lista, inclua outras milhares de coisas que você ainda tem que fazer e que eu nem considerei como possibilidade.

 

Só de ler já cansou.

 

Certo?

 

Então, voltamos ao inicio do texto e te pegunto novamente: Quando você acorda de manhã, você se lembra de olhar para si mesmo e estar presente?

 

Para que possamos estar inteiros e comprometidos verdadeiramente com todas as atividades que nos obrigamos e impomos a realizar todos os dias, é necessários que estejamos do nosso lado.

 

A presença diz respeito a você estar inteiro e comprometido com o que faz, de maneira que ao chegar ao final do dia, você não fique com a impressão que o tempo passou e você não resolveu nada, ou pior, o dia passou e você nem percebeu.

 

Isso só acontece porque você não estava com você, não estava ao seu lado.

 

Sabe quando você sai de casa e não consegue se lembrar se fechou a janela ou se trancou a porta? – É sobre isso que estou falando.

 

Os pensamentos estão a mil, e você faz as coisas tão no automático que esquece de perceber o momento.

 

Quando você está comendo um doce que gosta muito, quanto você realmente está desfrutando deste momento?

 

Aliás, quais são os momentos que você está inteiro com você mesmo e aproveitando cada momento?

 

Isso é estar presente.

 

É apreciar, aproveitar e usufruir do momento que você tem inteiro, fazendo cada uma das coisas que você tem que fazer, mas no momento presente.

 

O que temos é somente o aqui e o agora.

 

Desta maneira, não há o que tentar avançar no tempo, assim como também não temos como recuperar o tempo perdido.

 

Mas quando estamos presentes, quando estamos inteiros, quando estamos no aqui agora, percebemos a vida de uma maneira mais calma, mais possível e mais nossa.

 

Mesmo que tenhamos de usar o nosso tempo para fazer algo que nem gostamos tanto, a experiência poderá ser enriquecedora, pois inteiro, tudo tem um sentido e um valor diferente.

 

Aproveite o tempo que você tem agora, aproveite a vida que você tem agora, aproveite o minuto que é inteiro seu agora.

 

A vida não costuma dar segundas chances para estarmos presente duas vezes, então use a sua chance agora, ela é só sua.

 

Viva o que só você pode viver, sentir e aproveitar!

 

Marilice Everton Zanato 

Psicóloga Clínica e Organizacional 

Facilitadora em Constelações Familiares e PanGarden / Constelação Criativa